terça-feira, 23 de agosto de 2011

Atividades da p. 170 - 7º ano

1. Identifique quais eram as principais críticas ao catolicismo apresentadas pelos percursores da Reforma, John Wyclif e John Huss.
John Wyclif criticou a venda de indulgências e defendeu uma igreja nacional, em oposição ao poder "universal" de Roma. Ele também insistiu na autoridade das Sagradas Escrituras em oposição à opinião dos membros da Igreja. John Huss criticou os escândalos do clero ou São Pedro se não os imitasse em seus costumes.
2. Que interesse levou a burguesia a apoiar a Reforma Protestante?
A Igreja Católica condenava os lucros obtidos pela burguesia nas suas atividades comerciais, mas o protestantismo Calvinista aprovava e estimulava os lucros.
3- Explique o motivo das críticas feitas pela nobreza e pelas monarquias ao clero católico?
Eles criticavam a igreja por possuir terras e cobrar altos impostos que iam para Roma, contrariando o interesse dos monarcas e da nobreza.
4.Qual era a opinião dos protestos sobre a venda de indulgências pela Igreja Católica?
Os protestantes condenavam essa prática por acharem-na imoral, isto é, um desvirtuamento da doutrina biblíca..
 5. Cite as principais diferenças entre a doutrina dos reformadores e a do catolicismo:
Os reformadores defendiam práticas religiosas simples, baseadas na Bíblia em oposição à forma dos cultos católicos e as regras além das Escrituras.Os reformadores não admitiam o culto as imagens e só adotaram o batismo e a eucaristia entre os sacramentos católicos. Eles propunham fim da intermediação do sacerdote entre Deus e os individuados, enquanto os católicos valorizavam os sacerdotes como mediadores de vontade de Deus
 6. Quais as principais diferenças entre o calvinismo e o luteranismo?
O luteranismo era menos radical que o calvinismo, para o qual o sucesso econômico e reflexo de presentinação e a miséria é uma demonstração dos males e pecados humanos.
 7. Comente a importância dos Jesuítas na consolidação do poder católica durante o período da contrarreforma.
Os jesuítas enfrentaram o avanço protestante, difundindo em diversas regiões do planeta a ideologia católica romana, principalmente através da educação.

quinta-feira, 18 de agosto de 2011

Cesariana, por Laura Lopes - 6º ano B

O QUE SIGNIFICA CESARIANA
A denominação de cesárea ou cesariana, dada à operação de abertura do útero para retirada do feto, tem sido associada ao nome do imperador Júlio César, que teria assim nascido, segundo Plinius. Esta versão é questionável, porquanto a abertura do ventre para retirada do feto com vida só era praticada na antiguidade, entre os romanos, após a morte da parturiente, e a mãe de Júlio César, Aurélia, viveu muitos anos após o nascimento do filho, conforme atestam diversas fontes históricas.
Outra versão inconsistente é a de que Nero, um dos doze césares, teria mandado assassinar sua própria mãe, Agripina, e abrir-lhe o ventre para ver onde ele havia sido gerado.
Muito antes de Nero a operação cesariana já era bem conhecida, e os que nasciam por meio dela, após a morte da mãe, eram chamados caesones, conforme se encontra nos clássicos latinos (cesos ou cesões em português). Dentre os personagens ilustres da História citam-se como cesões São Raimundo Nonato e Cipião o Africano.
A cesárea após a morte da parturiente já era praticada possivelmente entre os egípcios e outras civilizações antigas.
Na mitologia grega, o próprio deus da Medicina, Asclépio, filho de Apolo e da ninfa Coronis, teria nascido de uma cesárea após a mãe ter sido morta por Artemis, a pedido de Apolo, que ficara enciumado com a infidelidade de Coronis.
No reinado de Numa Pompilius (700 AC) a lei romana proibia enterrar uma gestante morta, antes da retirada do feto de seu abdome: "Si mater pregnans mortua sit, fructus quam primum caute extrahatur".
O primeiro relato de cesárea em parturiente viva refere-se à realizada na Suíça, por Jacob Nufer, um castrador de porcas, em sua própria esposa, no ano de 1500. A paciente sobreviveu e teve outras gestações posteriores com partos normais.
Em 1581 Rousset publicou o seu Traité Nouveau de L'hysterotomotokie ou Enfantement Césarien, no qual relata histórias de casos operados por cirurgiões-barbeiros da época.
A partir do século XVII a operação cesariana passou a fazer parte integrante da obstetrícia, porém com elevada mortalidade materna e fetal. Langaard, em seu Dicionário de Medicina Doméstica e Popular (1873) dá-nos o seu testemunho: "Apesar de que não se pode admitir que a operação seja absolutamente mortal, é o numero das operadas que escapam muito limitado".Somente no século XX a cesárea tornou-se uma operação rotineira.
A palavra cesárea e as expressões parto cesáreo e operação cesariana vinculam-se ao verbo latino caedo, caesum, caedere, que equivale ao grego témno, cortar. Dele derivam caesus, a, um, cortado; caeso, onis, ceso ou cesão; caesura, corte;e caesar, aris, com o mesmo sentido de caeso, onis, isto é, aquele que é tirado do ventre da mãe, "qui caeso matris utero nascitur".
Outros nomes, formados de radicais gregos, já foram propostos em substituição a cesárea ou cesariana, tais como hipogastrotomia, tomotocia, histerotomia, metrotomia, láparo-histerotomia, gastro-histerotomia, célio-histerotomia, histerotocotomia, histerotomotocia, e outros, porém não lograram aceitação.
Teria o nome de César algo a ver com o parto cesáreo, como sugeriu Plinius? Parece que não, e existem três outras hipóteses para explicar a origem do nome de Júlio César. A primeira remonta ao sânscrito Kesar, que quer dizer cabeleira; a segunda dá o nome de César como sendo de origem púnica (de Cartago), significando elefante, símbolo da força; e a terceira identifica-o ao etrusco, com o sentido de deus.
A origem etrusca é a mais plausível e o sentido de divindade poderia ter levado Adriano (século II d.C.) a adotá-lo como título, o qual, depois de Diocleciano (século III d.C.) passou a designar o herdeiro presuntivo do trono, reservando-se ao imperador o epíteto de Augustus.
Devemos escrever cesárea com e, porquanto cesária com i designa um instrumento de corte utilizado na encadernação de livros, mais conhecido entre nós por cisalha. Já cesariana escreve-se com i , pois a terminação -eano(a) constitui exceção em português e emprega-se em reduzido número de adjetivos. Também não se deve grafar cesárea ou cesariana com z.
Tanto cesárea como cesariana eram primitivamente apenas adjetivos. Atualmente são empregados também como substantivos, especialmente o primeiro. A substantivação do adjetivo por elipse é um fenômeno comum da língua. O adjetivo, neste caso, incorpora o significado do substantivo contíguo e passa expressar todo o conteúdo do sintagma.

TCHAU
LAURA LOPES
Viram como os meus alunos são inteligentes, as aulas autrapassam as paredes da sala de aula.
Quem será o proximo?
Se ela permitir, postarie fotos dela.

quarta-feira, 17 de agosto de 2011

Reforma Religiosa

Igreja Católica
Práticas religiosas condenáveis:
v  Pelos fiéis:
comércio de relíquias
comportamento imoral do clero
venda de indulgências
corrupção moral
v  Pelo clero:
lucro
v  De onde vinha o poder:
propriedade de terras e bens
impostos
v  Teologia
livre arbítrio
poder papal
Reforma Religiosa:
v  Questões teológicas:
salvação  pela fé
predestinação
v  Reformadores:
Martin Lutero: Luteranismo
João Calvino: Calvinismo
v  Reação da Igreja Católica: Contrarreforma
ü  Concílio de Trento
Tribunal do Santo Ofício: visitações
Companhia de Jesus
Índice de livros proibidos

Sobre o Egito


Sobre o Egito responda as questões a seguir.
1- Assunto: Política
a-      Quem governava? O faraó
b-      Qual a forma de governo?  Monarquia Teocrática
c-       Quem eram os funcionários do Estado? Burocratas, escribas, militares
d-      Como se justificava o poder do faraó? O faraó era considerado um rei-deus
2- Assunto: Economia
a-      Como se produzia? Por meio da servidão coletiva. Usava-se obras hidráulicas.
b-      Quem produzia? Os camponeses eram os responsáveis pela maior parte da produção
c-       Como a riqueza produzida era dividida? Os grupos privilegiados ficam com a maior parte da riqueza produzida
3- Como era a escrita egípcia? Desenvolveram de três tipos: hieróglifa, hierática e demótica.
4- Qual a importância do Rio Nilo para o desenvolvimento da agricultura no Egito? O regime de cheias do Nilo fertilizavam suas margens propiciando uma abundante produção agrícola, que alimentava a população e gerava excedentes.

quinta-feira, 11 de agosto de 2011

Exercícios 7º ano . p.153

1. Onde e quando surgiu o Renascimento Cultural?
Surgiu nas cidades italianas no século XIV, enriquecidas com o comércio de especiarias com o Oriente.
2. O que estava acontecendo nessa epóca e nesse lugar que permitiu o início desse movimento?
O contato com as civilizaçãoes orientais provocou o aumento do comércio e permitiu o contato com diferentes culturas. Isso levou a reforçar as mudanças na visão de mundo dos intelectuais e artistas que viviam nas cidades italianas.
3. Qual foi a principal fonte de inspiração dos artistas renascentistas?
O passado clássico das culturas gregas e romana
4. Quais eram as principais características da arte renascentistas?
  • a valorização da natureza;
  • humanismo;
  • inspiração nos valores greco-romano;
  • realismo: tentativa de reproduzir as formas humanas e da natureza o mais fiel possível;
  • utilização de temas religiosos e profanos;
  • valorização da língua vernácula em oposição ao latim
5. Retome as imagens do Para Começar, no início do capítulo, e responda:
O que há em comum entre o papel do imprensa na Europa do Renascimento e o papel da imprensa nos dias atuais?
A imprensa teve um papel fundamental na difusão das ideias e das informações. Na Europa do século XIV, ela permitiu uma lenta e gradual difusão das ideias renascentistas por meio da publicação de livros e notícias. Atualmente, a imprensa cotidianamente informações de todos os países.

Egito - 5000 a.C. até 525 a.C.

 Localização:
  • Nas magens do rio Nilo
  • Nordeste da África
Origem:
  • nomos = aldeias
  • Alto e baixo Egito
  • Unificação política
Periodização:
  • Antigo Império: 3200 a.C até 2000 a. C.
  • Médio Império; 2000 a. C até 1590 a. C
  • Novo Império 1580 a.C até 525 a. C
Política:
  • Monarquia Teocrática
Sociedade:
  • Faraó e sua família
  • Sacerdotes, funcionários do estado e nobres
  • Camponeses, artesãos e escravos
Ecomomia:
  • agricultura, criação de animais, pesca, atividades artesanais e comércio
  • Obras hdraúliacas.
 Cultura
  • Religião Politeísta
  • Técnicas e munificação
  • Astronomia
  • Engenharia
  • Medicina: especialização: fratura, estomâgo e coração
  • Calendário: 12 meses de 30 dias
  • Matemática

renascimento Cultural

Nos séculos XV e XVI, surgiram ideias diferentes da visão de mundo medieval. Em vez de confiar na autoridade dos antigos e nas palavras da Igreja, os europeus passaram a valorizar a experiência e a observação, o estudo da natureza e da vida humana na terra. A vida cultural deixou de ser controlada pela Igreja Católica e foi influenciada pelos humanistas, que se dedicavam ao estudo da antiguidade greco-romana. /essa grande renovação de ideias foi chamada bem mais tarde de Renascimento. O Renascimento começou nas grandes cidades italianas e depois de espalhou pelos países europeus.

Foi a epóca de grandes artistas e escritores como: Leonardo da Vinci, Michelângelo, Rafael e Shakespeare...
Características marcantes:
  • abandonaram o teocentrismo e colocaram o homem no centro das preocupações: antropocentrismo;
  • racionalismo;
  • humanismo;
  • individualismo
  • otimismo.

Bússola - 7° ano

Vamos construir uma bússola.

Material
  • 1 agulha de costura
  • 1 imã
  • 1 rolha
  • 1 prato fundo
Procedimento
Imantar uma das extremidades da agulha com o imã, friccionando-o levemente sobre o metal.
espete a agulha na rolha, no sentido transversal.
Colocar a rolha no recipiente com água, deixando a agulha numa posição paralela à superfície da água.
A rolha deve flutuar.
O lado imantado do imã indicará sempre o norte.

sexta-feira, 5 de agosto de 2011

6º ano - p. 147

1-O texto do jornalista Paulo TOTTI se refere a um esporte maia parecido com o basquete. No entanto, existem algumas diferenças entre os dois jogos. Quais são elas?
Ao contrário do basquete, a bola não podia tocar no chão e deveria passar por um estreito buraco de uma grande pedra redonda que, presa no alto separava os oponentes. também não era permitido usar as mãos.
2- De acordo com o jornalista, o que representava o sacrifício humano para os maias?
Ser sacrificado era alegria para um maia, pois o morto se transformaria em deuses.  Em sua crença, a morte não acabava com a vida
3- O texto traz várias informações sobre como era praticado o jogo de bola. Procure na imagem elementos que comprovem essas informações.
Os jogadores estam protegidos por almofadões, um deles agachado parece tentar tocar na bola com o ombro. o Texto diz que os oponentes ficam separados por uma pedra presa no alto, que na imagem parece estar representada pela linha que separa os jogadores.

segunda-feira, 1 de agosto de 2011

P. 122 Questões: 1, 2 e 3 - 7º ano

1.1Explique os fatores que influenciaram o pioneirismo português na expansão ultramarina:
  • llocalização geográfica, próxima ao Atlântico;
  • contato com textos antigos, que falavam da esfericidade da Terra;
  • domínios de técnicas de navegação provenientes dos árabes;
  • transformação de Portugal num entreposto das navegações italianas;
  • enriquecimento do grupo mercantil;
  • centralização monárquica, fundamental para o financiamento das navegações.
2- faça um quadro comprativo dos Estados que participaram da expansão marítima europeia. Copie o quadro abaixo em seu caderno e complete com as informaçãoes encontradas no texto do capítulo ou em outras fontes.





Portugal
Espanha
Inglaterra
França
Holanda
Inícios das Navegações
 Século XV
 Final do século XV
 Final do século XVI
Século XVI 
Final do século XVI 
Navegadores
 Bartolomeu Dias, Vasco da Gama, Pedro Álvares Cabral, Fernão de Magalhães.




 Cristovão Colombo, Américo Ve´púcio








Giovanni Caboto






Jacques Cartier, Nicolau Durand e Villegaigmon




Piet Heyn
Regiões conquistadas
 Brasil, África e Parte da Ásia
Sul da América do Norte, América central e do Sul. 
 América do Norte e parte do Caribe.
 Américo do Norte e sul do Brasil
 América _Nova Iorque. Nordeste do Brasil e Ásia
Resultado
 Colonização do Brasil e países da África e da Ásia.
Enriquecimento rápido seguido de decadência
 Colonização da América motivada pela busca de metais preciosos.
 Povoamento do norte e colonização do sul dos EUA.
 Expulsos do Brasil ficaram só com o Canadá
 Enriqueceram com o tráfico de escravos, o comércio com especiarias.
se especializou na atividade financeira. Banqueiros.


3. Analise o quadro que você fez em seu caderno e responda às seguintes questões:
a- Como você explica o fato de Portugal, durante o século XV, ter dominado praticamente sozinho a expansão marítima?
Portugal se encontrava numa situação privilegiada com relativa estabilidade política, proveniente da centralização monárquica e do enriquecimento da burguesia.
B- Por que a Espanha só entrou na disputa no final do século XV?
Por causa da ausência de um governo centralizado antes disso.
C- Todos os países obtiveram o mesmo sucesso em suas viagens?
Não. Os países pioneiros na expansão e colonização foram os que construíram grandes áreas coloniais no primeiro século da Idade Média.
D- Por que os ingleses só começaram a disputar os mercados e territórios a partir do século XVI?
Por que durante o século XV, a Inglaterra e a França estiveram em guerra, sem estabilidade para investir nas navegaçôes.
e- Que papel a França teve no início da história do Brasil?
Os franceses invadiram a baia da Guanabara com a intenção de fundar uma colônia, a França Antártica, mas não obtiveram sucesso. Depois, entre outras investidas, fizeram uma nova invasão no Maranhão, onde chegaram a fundar a França Equinocial, mas foram novamente vencidos e expulsos.
f- Como os holandeses tornaram-se uma potência no século XVII?
Os holandes tornaram-se uma potência ao financiar a empresa colonial portuguesa no Brasil e o comércio de especiarias no Oriente, e quando começaram a atuar no tráfico de africanos escravizados para as Américas.

Expansão Marítima Portuguesa

Portugal foi pioneiro nas grandes navegaçãoes, por possuir uma burguesia comercial interessada, uma monarquia nacional centralizada, tradição marítima e posição geográfica favorável.A burguesia portuguesa decidiu, com o apoio real, procurar uma rota marítima para as Índias. A conquista do caminho marítimo pra as Índias deu-se através da circunavegação do continente africano.                    
Tratado de Tordesilhas
Em 1494, Portugal e Espanha firmaram o tratado de Tordesilhas. Este documento determinava a divisão das terras descobertas e por descobrir a partir de um meridiano localizado a 370 léguas a oeste das ilhas de Cabo Verde.
Tudo que estivesse a oeste desse meridiano pertencia à Espanha, o que estivesse a leste a Portugal.

As Primeiras Civilizações Americanas

MAIAS: Desenvolveu-se na península de Yucatán, na América Central. Alcançou seu maior desenvolvimento no século VII.
A economia dos mais baseava-se principalmente no cultivo de milho, feijão, e batata-doce. Eles não conheciam u uso da roda, do arado, do ferro e o transporte realizado por animais.
A sociedade era dirigida por poderosos sacerdotes (líder espiritual e político).
No setor cultural, os maias construíram grandes templos, pirâmides e observatório astronômico.  Criaram um calendário com 18 meses de 20 dias e mais 05 complementares.Tinham noção e representãçãoa do zero.
ASTECA:  A sociedade Asteca desenvolveu-se a partir do  s´culo XII, na região do atual México. Povos guerreiros, criaram um governo poderoso com sede em Tenochititlán.
Plantavam milho, feijão cacau, algodão, tomate e tabaco.
Comercializavam tecidos, peles cerâmicas, sal, ouro e prata.
desconheciam o uso da roda, do ferro e animais de carga.
INCAS: Povos Andinos. desenvolveu-se na região onde se encontra o Peru, Equador, Bolívia e norte do Chile. Alcançou seu período de maior desenvolvimento no século XIV.
era governando por um imperador considerado um Deus, o filho do sol..
A economia era baseada no cultivo de milho, batata e tabaco.
Desenvolveu a tecelagem a cerâmica, a metalurgia do cobre e do bronze. Trabalhavam com ouro e prata.
Utilizavam a IHAMA como animal de carga. Construíram estradas pavimentadas e canis de irrigação.
 

domingo, 12 de junho de 2011

Vamos tralhar com textos - 6º anos - p. 69

Leia o texto da página 68 e depois responda as perguntas.
1- Com a madeira e com outros materiais provenientes da floresta, os Ticunas constroem diversas objetos. Cite quatro. casas, objetos da casa, brinquedos, enfeites, tintas, materiais para festa, máscara, instrumentos musicais.
2- Além de ser fonte de madeira e de outros materiais, qual a importância da floresta para os Ticunas?
A floresta é o lugar onde nasceram e cresceram seus antepassados. Da floresta vêm as histórias e os espíritos de cura.
3- "Nossa vida anda junto com a floresta". Na sua opinião, o que as populaçãoes não indígenas podem aprender com essa frase? A questão ambiental nos dias de hoje, tem feito as populaçãoes não indígenas valorizarem o modo de vida das comunidades indígenas, que vivem em maior harmonia com a natureza.

Idade Moderna: um período de transição

Copie o quadro abaixo e após a leitura do tópico Um Período de Transição, complete com o que se pede.

Idade Moderna: um período de transição

Permanências
Mudanças
Antigas Unidade feudais.
Crescimento das trocas comerciais.
Propriedade da terra e os títulos de nobreza determinam a posição social dos indivíduos.
Nova classe social: burguesia.
Privilégio de nobres e clérigos.
Centralização do poder real: Estado absolutista.
Obrigações servis
Mercantilismo.

Antropocentrismo.

Renascimento cultural

Reforma Religiosa

Expansão marítima.

quarta-feira, 1 de junho de 2011

6º anos - p. 69

Explique com suas palavras como viviam os indígenas brasileiros quando os conquistadores portugueses aqui chegaram?
os indígenas retiravam da natureza apenas o necessário para sua sobrevivência, viviam da caça, da pesca, coleta e também faziam pequenas plantações. A terra era um bem coletivo e as comunidades disputavam a posse das terras férteis. Viviam em aldeias, o trabalho era dividido de acordo com o sexo e a idade: homens caçavam pescavam guerreavam produziam suas armas; as mulheres plantavam, coletavam frutos e raízes e confeccionavam redes e cestos. O paje era o responsável pela transmissão das crenças, rituais e costumes, bem como pela cura das doenças, através de rezas e da manipulação de ervas.

Indígenas brasileiros e conquistadores portugueses tinham visões de mundo bem diferentes. Explique essas diferenças.
Os indígenas retiravam da natureza apenas o necessário para sua sobrevivência, sem destruí-la; o português via a terra com uma fonte de riqueza. O indígena plantava apenas aquilo de que precisava para sobreviver, o português plantavam grandes quantidades para realizar o comércio.

3- No Para Começar deste capítulo, você fez uma comparação entre o modo de vida de sua família e o de alguns povos indígenas. Tomando como base o que você concluiu e o que você estudou neste capítulo, responda:  a cultura  indígena ainda influencia a cultura não indígena? Dê argumentos que justifiquem a sua resposta.
É nula influência das culturas indígenas sobre a cultura dos não indígenas no Brasil, na atualidade. A população indígena e cada vez menor , estão expostos a constantes violências.

Procure no dicionário a palavra raça e etnia:
a- Copie em seu caderno o significado de cada uma dessas palavras:
Raça: divisão dos diferentes grupos humanos em função de suas características físicas .
Etnia: grupo pessoas que tem características culturais próprias.
b- Agora explique esses significados com suas próprias palavras.
Raça: Se refere as características físicas de um determinado grupo de pessoas.
Etnia: Se refere as característcas culturais de um determinado grupo de pessoas.
c- Em sua opinião, cada grupo indígena representa uma raça ou uma etnia? Por que?
Etnia, pois grupo de pessoas com as mesmas característias físicas possuem culturas diferentes. 

terça-feira, 17 de maio de 2011

Análise de Filme: Cruzada

Filme:
Diretor
Ano
1- Comente três cenas do filme que você identificou com o conteúdo estudado em sala de aula?
2- Neste filme existem retratos de valores que são específicos do feudalismo, da Idade Média. Explique os conceitos da época.
a) Conceito de honra.
b) Conceito de fé
3- Comente duas cenas em que os conceitos acima são explicitados.
4-O filme foi ambientado cem anos após a primeira Cruzada. Responda.
a) Quem convocou a primeira Cruzada?
b) Quando ocorreu a primeira Cruzada?
c) Qual era o principal objetivo da primeira Cruzada?
5- Dos motivos estudados e os mostrados no filme levaria você à uma Cruzada? Explique.

Análise do Filme: A Guerra do Fogo

Análise de Filme
Filme: A Guerra do Fogo
Diretor: Jean-Jacques Annaud
Após a exibição do filme responda as questões a seguir.
1) Com base nas características dos personagens, identifique os dois grupos principais que aparecem no filme.
Grupo da Cavernas: Características Físicas: testa e queixo mais protuberantes, corpo maiores e mais fortes, postura um pouco arqueada, dentes grandes...
Grupo das aldeias: Físico: postura ereta, corpo desprovido de pelos, rosto mais delicado, corpos menores e menos fortes do que o primeiro grupo. os dois são hominídeos.
2) Faça uma comparação entre os dois grupos e responda os itens abaixo:
a- Como cada grupo consegue fogo? o primeiro não sabe produzir o fogo e o obtém através da natureza ou o roubo. O segundo domina a técnica de fazer fogo.
b- Como cada grupo pratica a guerra? O primeiro grupo luta com pedras e lanças de madeiras. O segundo possui lanças e flechas.
c- Como cada grupo mora? O primeiro grupo mora em cavernas. O segundo grupo mora em cabanas numa aldeia.
d- Como cada grupo ornamenta o corpo? O primeiro grupo usa peles de animais sobre o corpo, o grupo utiliza uma espécie de lama para pintar o corpo inteiro. Eles usam também uma espécie de tanga .
3) Dominar o fogo, na Pré-história, era uma condição importante para a sobrevivência dos seres humanos. No filme, podemos observar várias cenas sobre a importância do fogo na vida de nossos ancestrais. Identifique e comente três dessas cenas..
Algumas cenas nos dão a dimensão da importância da utilidade do fogo para a sobrevivência humana. No início do filme podemos observar o fogo sendo utilizado para espantar os animais predadores. Após serem atacados por lobos e perderem o fogo, a tribo se vê ameaçada pelo frio. Temos, também , cenas em que o fogo é utilizado no preparo de alimentos.
4) No decorrer do filme há um intercâmbio cultural entre os dois grupos principais. Como resultado desse intercâmbio, o primeiro grupo sofre algumas transformações no seu modo de vida. A respeito desse assunto, responda os itens abaixo.
a) Identifique e explique a importância da mulher do segundo grupo para o estabelecimento desse intercâmbio entre os dois grupos. A mulher do segundo grupo teve um papel muito importante para o estabelecimento de um contato amistoso entre os dois grupos.Ela se mostrou bastante tolerante às diferenças culturais apresentada pelo primeiro grupo. A partir desse contato, ela passa a ser o elo de ligação ente os componentes das duas tribos.
b) Cite três transformações que o primeiro grupo sofreu após o contato com o grupo dois. Os componentes do grupo um passaram a dominar a técnica de fazer o fogo, começaram a usar os ornamentos corporais do grupo dois, aprimoraram aspectos da vida social, começaram a contar história em grupo, aprenderam o sentido do riso e a transmitir os conhecimentos adquiridos.

sábado, 14 de maio de 2011

Trabalhando com documentos - 7º ano

Página 73.
1. De acordo comos textos, como as mulheres devem se comportar?
As mulheres devem se submeter aos seus maridos, baixar os olhos, ser casta, esconder o corpo, cobrindo-o até o pescoço, podendo mostrar seus ornamentos apenas a seus parentes próximos, escravos e às crianças.
2. Segundo o Corão, há distição entre homens e mulheres? Quais são elas?
Sim as mulheres são consideradas "inferiores. Na partilha dos bens, a mulher recebe a metade das riquezas herdadas por seus irmãos.
3. O comportamento prescrito pelo Corão é muito diferente daquel que temos em nossa sociedade? Quais são as diferenças? resposta pessoal.. Vale lembrar, que o importante ee respeitar os hábitos culturais e religosos de cada pessoa, desde que não se oponham aos direitos humnos ou se desdobrem em atos de violência e discriminação.
4. Pesquise sobre os mulçumanos hoje. Eles continuam seguindo à risco o Corão?  Dê exemplos.
Muitos países mulçumanos fundamentalistas adotam o hábito de esconder o corpo da mulher. o uso do véu é obrigatório em quase todos eles.Mas antigas práticas como a poligamia deixaram de ser adotados em muitos desses paises.

segunda-feira, 9 de maio de 2011

Trabalhando com documentos - 7º ano

Livro: p. 51
Leia a seguir um trecho da epístola do papa Inocêncio III, DE 1198

Teoria da Lua e do Sol
"Do mesmo modo que Deus, criou o universo, colocou no firmamento dois grandes astros, o maior para iluminar o dia e o menor a noite, assim também, no espaço universal da Igreja. Ele estabeleceu duas autoridades supremas, a autoridade dos papas e a autoridade real,para que estejam à frente das almas a maior, e dos corpos a menor, comparadas respectivamente ao dia e á noite. Por tanto, da mesma forma que a Lua é menor em volume, inferior nos seus efeitos e recebe a luz do Sol, que brilha mais do que ela, a autoridade real tira seu brilho e prestígio da autoridade pontifícia (...)"
EPÍSTOLA Sicut universitatis conditor
1198. apud S. Baluzius: Epistolarum Inocêncio III, I, 235.
In: ARTOLA, Miguel. textos
fundamentales para la Historia, Madrid:
Alianza Editorial, 1992. p. 126
1. Explique, com suas palavras, a comparação feita pelo papa Inocêncio III entre a autoridade dos reis e a autoridade dos papas. O papa compara os reis à lua, e os papas ao Sol. Para ele, assim como Deus colocou no céu os dois astros, também estabeleceu a autoridade dos reis e dos papas. No seu ponto de vista, como o sol ilumina mais durante o dia, enquanto a lua ilumina menos e à noite, também a autoridade do papa é maior, pois maior, pois ilumina as almas,enquanto a autoridade dos reis é menor, pois ilumina os corpos.
2- Qual era a intenção do papa ao afirmar sua superioridade sobre os reis?
A intenção do papa era justificar que o poder dos reis deveria se submeter ao poder eclesiástico da Igreja. Por isso, Inocêncio III termina o texto afirmando que a autoridade real "tira seu brilho e prestígio da autoridade pontifícia.