domingo, 12 de abril de 2015

Cruzadinha- Época do Ouro

A Época do Ouro

Across
3. século em que foi encontrado ouro em Minas Gerais.
5. Foi elevada a categoria de distrito, subordinada a capitania de São Paulo.
13. Doença que atingia os escravos que trabalhavam na mineração.
14. Foi para a região das minas na esperança de se enriquecer.
15. Produto cultivado pelos colonos antes da descoberta de ouro.
19. Locais onde viviam os primeiros moradores das minas.
20. Uma das duas primeira cidade Mineira.
Down
1. Tipo de ouro facilmente encontrado nos leitos dos rios.
2. Distrito criado na áreas de mineração de diamantes.
4. Expedições que encontraram ouro em Minas Gerais.
5. Imposto cobrado por cabeça de escravos.
6. Principal imposto cobrado pela Coroa portuguesa.
7. Lotes pelos quais as lavras eram divididas.
8. Pequenas lavras de ouro.
9. Arraial onde foi encontrado diamantes em Minas Gerais.
10. Casas onde o ouro era transformado em barras.
11. Cobrança de imposto atrasado.
12. Guerra entre paulistas e forasteiros pelo controle das áreas mineradoras em  minas.
16. Órgão público que tinha a função de administrar os espaços públicos.
17. Tipo de escravo usada nas minas.

18. Funcionário da Coroa responsável pela extração de diamantes.

sexta-feira, 10 de abril de 2015

Introdução aos estudos históricos

Localize as expressões a seguir e depois defina-as.

AMPULHETA ARADO ARPÃO AUSTRALOPITECO BRONZE CALENDÁRIO CLEPSIDRA COBRE COMÉRCIO CRIACIONISTA DARWIN ERECTUS ESCRITA HISTORIADOR 
HISTÓRIA JERICÓ NEANDERTHALENSIS  NEOLÍTICO NOMÂDES PALEOLÍTICO
RELÓGIO SAPIENS SEDENTÁRIOS


R O G H C X E H H N F K X H O N Q Q Z V B R V E J O M A R F
X I Y S C A J R J B I C O C E M J I O W L O Z K E H F M X K
J C Z O Y H L V E O O Ã Q A G H B S R H I D I Z C R A V Y K
P R G R L R O E L C P N N T N W H L U G W A V L I T D Y V P
V É G X R U E C N R T D H O E H O K Z C M I X B L C K S I D
I M W A R A A H A D E U G O D A E Y Z J A R E W K E F V P P
H O S W K Y N I N R Á K S D U O Z K W P K O G K Y Q A C D J
B C J G K X K C T N A R B G Y J N F M L S T C L C L Z M V R
G Y X K M I U H A Z A G I E L J O O R W L S F W X W T B C C
T Ó I V N D A O C E T I P O L A R T S U A I O A L Y Q P R Y
B Q C Z T L N K C I G C U J Z Z B J D M C H D R P U K B X Q
S Y G I E A R A D O T Z L E F J E O S C O W O O N F W S F B
A Z C N R T H Z G T Z A C U L A A A L Q N P T T E W M G Z X
E T S E D E N T Á R I O S Y Q S A P I E N S R U R F B J S Z
I I S D Y Q J M U B O G W U R E Q Y B R W D A J P I R A D A
S R W I V Y M G Z C M W H T Y L W M P D Ó D U Q P H X T A M
U G J O N H U A Z C M A Z N V R M A R F P T J L E J Z E O P
O R H N T O T L L O C I T Í L O E N F R K N S S C T E C M U
U G C Q O O I E V U H U T J E S M U C R W I C I Q X I U Y L
F J K N J F P C V J Q F U W E U R K B V V R R Q H T I X Z H
N E O X C S S L A Y D H A S T F I U P T I O O O Í B D G F E
O E O X I Z X N W I R L R K H B O Z J T Y T I L U X P I T T
M B A D L M Y P G N R M B B E V M P A B T G O C W K O O X A
 E R Z I W W M N O D C T P Z B M Y H I Ó E N X W V U V R O
D A G V B Q H B O S X D X J C Z X R D L L V F R N T M A G H
E Q F Z M I N Z E N O I Y Y H O F C E A G E L Z D L K I T T
S Z E P G A Y D L U K K X Z N D B R P O P B Q X J Q Q Y H Y
Q Q P H E N P K R S F N I W R A D R K J V M B M Q H J O L Q
G N E U O F N B L V B J T I H O X F E F O T F Q C A X L M S
S K N Y A X F W V C X Z C M K T E H Z F N O R A P D X U C E 

domingo, 29 de março de 2015

Atividades p. 42 – 8º ano



1.      Defina os termos a seguir
a.      Casas de fundição: locais onde o ouro era transformado em barras e onde se recolhia a parte que cabia à Coroa portuguesa.
b.      Datas: lotes nos qauis eram divididas às minas de ouro descobertas pelos mineradores.
c.      Faiscação: pequenas lavras de ouro.
d.      Quinto: principal imposto cobrado pela Coroa portuguesa sobre o ouro extraído no Brasil, que correspondia a 20% de todo o metal encontrado pelos mineradores.
e.      Derrama: Obrigação dos minérios de completar com recursos individuais a cota de ouro anual (100 arrobas) estabelecida pela Coroa.
f.       Sistema de capitação: imposto que estabelecia a cobrança de 17 gramas de ouro por escravo.
2.      Em seu caderno, copie o quadro a seguir com informações sobre a exploração de diamantes na América portuguesa.
Exploração de diamantes
Quando e onde foram encontrados
Os diamantes foram encontrados na região do Arraial do Tejuco, atual Diamantina, no início do século XVIII.
Forma de controle exercidas sobre a atividade
Criação do Distrito Diamantino (1734), isolando a região do restante da colônia, e cessão do direito de exploração dos diamantes somente aos contratadores, funcionários reais.
Mudanças ocorridas após 1771
Estabeleceu-se que a exploração seria feita diretamente pela Coroa por meio da criação da Real Fazenda. No início do século XIX, com a decadência da produção, a administração portuguesa foi, aos poucos, liberando a garimpagem em algumas áreas. O Distrito Diamantino dói dissolvido em 1882.
Aplicar
3.      Leia o texto a seguir e responda às questões.
“Nessa sociedade, onde tudo se comprava com o dinheiro, poucas moedas circulavam. Em compensação, o ouro em pó {...} circulava com muita intensidade, mesmo após a instalação das primeiras casas de fundição em 1719. A monetização fazia parte da rotina dos moradores.
Não é à toa que o comércio de todo tipo fez-se presente [...]. negociava-se tudo; escravos, animais, gêneros alimentícios, bebidas, tecidos, ferramentas, medicamentos. Adornos e objetos das mais diferentes espécie, produzidos na região ou trazidos de fora. [...]Negras, com seus tabuleiros de quitandas, enchiam as vias urbanas[...].
Comparas a crédito e pagamentos parcelados, assim como dívidas corriqueira, provenientes de pequenas negociações, e anotadas em livros específicos, eram operações realizadas com freqüência e sem muita parcimônia. [...[
Um outro procedimento recorrente naquela sociedade monetizada foi o penhor de bens, principalmente de artefatos de metais e pedras preciosas. O negócio acabava sendo a salvação de endividados e parece ter rendido bons lucros para os credores. Dos 357 testadores investigados, 38 (10,64%) encontravam-se envolvidos nessa atividade, incluindo os proprietários que penhoram seus escravos.”
Livro didático Projeto Araribá – 3ª edição p. 42
a.      Pode-se afirmar, segundo o texto, que o comércio na região das minas era pouco ativo? Explique. Não, pelo contrário, o texto apresenta o comércio como uma atividade muito dinâmica na região das minas, onde se negociava de tudo, desde escravos, gêneros alimentícios e ferramentas, até artigos vindo de fora.
b.      A abundância de ouro possibilitou a monetização da sociedade mineira? Justifique. Sim. Como havia  ouro em grande quantidade, o ouro em pó, extraído do leito dos rios, tornou-se moeda de troca para aquela sociedade, ou seja, passou a ser usado como dinheiro.
c.      Que outras práticas adotadas no comércio do Brasil atual também se tornaram comuns na região? Quais teriam sido as vantagens e as desvantagens desse tipo de negociação? A venda a crédito e o pagamento em parcelas. As vantagens existem para o comerciante e para o cliente. A venda a crédito permite ao comerciante atrair uma parcela maior de fregueses e, se a negociação prevê a cobrança de juros, ele pode compensar as perdas causadas pela inflação. Para o cliente, principalmente aquele que não tem dinheiro para pagar a vista, a venda a crédito possibilita que ele adquira mercadorias e vá quitando sua dívida aos poucos. A desvantagem principal é o risco que corre o comerciante de não receber pela mercadoria vendida.
d.      De acordo com o autor, muitas pessoa endividadas em Minas Gerais penhoravam seus bens. Explique para os colegas o que isso significava. Penhorar os bens significa dar esse bem, que pode ser um terreno, uma casa ou um a Jô do cumprimento de uma obrigação um empréstimo ou do cumprimento de uma obrigação assumida.

4.      A pintura as seguir foi produzida pelo artista Antônio Parreiras por volta de 1923. Com um colega, observem com atenção a imagem e responda às questões.
a.      Que personagem e acontecimento histórico foram representados nessa pintura? Como é o cenário criado pelo artista? Parece ser um cenário urbano ou um cenário rural? Por quê? A pintura de Antônio parreira representa o julgamento de Felipe dos Santos, líder da Revolta de Vila Rica (1720) que foi condenado à morte. Em primeiro plano vemos a figura do condenado, Filipe dos Santos. Perto dele estão dois negros , provavelmente escravos, um deles ajoelhado, e um cavalo. No entanto podemos ver algumas autoridades e populares assistindo ao julgamento. O cenário é urbano, pois nele aparecem algumas construções, entre elas uma igreja, característica das cidades mineiras da época colonial.
b.      Com base no que vocês estudaram nesta unidade, explique os acontecimentos que resultaram no episódio pintado pelo artista. A Revolta de Vila Rica ou Felipe dos santos, em 1720, decorreu, sobretudo da insatisfação dos mineradores de Vila Rica com relação  a notícia da criação das Casas de Fundição nas Minas Gerais. Para tentar impedir o contrabando de ouro, a Coroa portuguesa aumentou a fiscalização nas áreas de mineração e na cobrança de impostos. Para isso, foram criadas as casas de Fundição, locais onde as autoridades recolhiam o quinto e transformavam o ouro em barras, gravadas com o selo real. Diante dessa situação, o comerciante português Filipe dos Santos organizou um movimento em Vila Rica para protestar contra a instituição das casas de fundição nas Minas Gerais. O Governador da capitania, o conde de Assumar, acabou reprimindo os revoltosos, prendendo-os. Filipe dos Santos considerado o líder do movimento, foi o único condenado à morte.
c.      Essa obra de Antônio Parreiras foi produzida por volta de 1923, mais de duzentos anos após o fato representado. Na opinião de vocês, que fonte o artista pode ter utilizado para produzir sua obra? A pintura é uma representação fiel do que teria ocorrido? As pinturas históricas não são representações da realidade do período que se pretende representar, mas revelam, sobretudo, aspectos do presente do artista, suas preocupações, técnicas etc. Além disso, artista como Antônio parreiras, que representou um acontecimento histórico que ele não vivenciou, recorrem muitas vezes a diversas fontes históricas (como relatos, livros didáticos, registros oficiais ET.) para produzir suas obras de arte.

Atividades da p. 71 – 9º ano



1.      Responda às questões em seu caderno.
a.      Quais eram os objetivos da reforma urbana conduzida por Pereira Passos no rio de Janeiro, no início do século XX?  Modernizar a cidade e transformá-la em um local semelhante às grandes capitais européias, com espaços mais amplos, arborizados, construções novas e que propiciassem melhores condições de higiene.
b.      Como a  reforma urbana da capital federal afetou as classes populares?  A renovação urbana empreendida no Rio de Janeiro entre 1903 e 1904 expulsou as classes populares da região central, com a demolição dos antigos casarões e cortiços que abrigavam os trabalhadores pobres. Esses indivíduos acabaram se estabelecendo nos morros e regiões da periferia da cidade, dando origem às favelas.
c.      De que forma a população demonstrou seu descontentamento com as novas medidas do prefeito Pereira Passos e do diretor de Saúde Pública, Oswaldo Cruz?  A população se revoltou contra as medidas de Pereira Passos e de Oswaldo Cruz, enfrentando a polícia e as tropas federais que tentavam conter as manifestações populares em 1904.
2.      Hoje, passados mais de cem anos da Revolta da vacina, existem muitas campanhas que informam a população e a orientam sobre a importância de prevenir doenças por meio da vacinação. Estabeleça semelhanças e diferenças entre as campanhas de vacinação contra a varíola, na Primeira República, e as atuais campanhas de saúde pública.
Atualmente, como ocorria há mais de um século, o combate às doenças é uma importante questão de saúde pública. No entanto, na Primeira República, para combater doenças como a varíola e a malária, foi realizada uma vacinação em massa, de forma autoritária, sem que se prestassem informações necessárias à população, diferentemente do que ocorre hoje em dia.

Analise e compare as fontes
1.      Responda ás questões sobre a fonte 1
a.      Identifique o local e o ano da Fotografia. Cidade do Rio de Janeiro, 2011
b.     Descreva os principais elementos, naturais e humanos, que a compõem. Na fonte 1, podemos observar tanto elementos da paisagem natural quanto aqueles que foram construídos pelo homem. Vemos que ao redor do morro do Corcovado foram construídas diversas casas e prédios, além do Cristo Redentor, que é a grande atração turística da cidade. A praia e a vegetação do morro misturam-se com os elementos de urbanização do Rio de Janeiro.
c.      Em 2007, o cristo Redentor foi escolhido por voto popular como uma das sete maravilhas do mundo moderno. Você concorda com essa decisão? Justifique.  O cristo foi construído para marcar o aniversário da independência do Brasil, em 1922. Em 1926, as obras foram iniciadas e o monumento só foi inaugurado em outubro de 1931, sendo tombado pelo Instituto do Patrimônio Histórico nacional (IPHAN) em 1973. O Cristo Redentor tornou-se um dos patrimônios históricos mais reconhecidos internacionalmente do Rio de Janeiro e do Brasil. Em julho de 2007, em Portugal, o monumento do Cristo Redentor foi incluído entre as novas sete maravilhas do mundo moderno, ao lado da Muralha da China; de Petra, na Jordânia; de Mv]Chu Picchu, no Peru; de Chichén Itzá, no México; do Coliseu, na Itália e da Taj Mahal , na Índia. Realizou-se uma grande campanha nacional, com participação dos meios de comunicação, de políticos, artistas e diversas entidades, para que o monumento fosse eleito.
1.      As fontes 2 e 3 apresentam aspectos do Rio de Janeiro no início do século XX. Analise e comente esses aspectos.













A fonte 2 trata da modernização da cidade e o que isso acarretou na vida da população pobre do Rio de janeiro. O historiador José Murilo de Carvalho nos mostra como o ambiente luxuoso transformou o visual da cidade





, evidência que a fonte 3 reforça


1.      Analise o conteúdo do texto e da imagem da fonte 4 e estabeleça uma relação ente eles.
 
   A fonte 4 apresenta um texto jornalístico e uma charge sobre a Revolta da Vacina. Ambos representam a violência da reforma com autoridades sanitárias trataram a população, ou seja, sem nenhum esclarecimento sobre o processo de reurbanização que estava sendo executado sobre a população humilde e pobre.


    6.  Releia a fonte 5 e explique o significado da frase “Sua reação, portanto, não foi contra a vacina, mas contra a história.  A frase demonstra a posição do historiador Nicolau Sevcenko a respeito dos motivos da Revolta da Vacina. Para ele, esse movimento significou uma reação popular contra a sua condição miserável que percorre longos períodos da História.